20091016

O sono do bebê e os dentinhos


Na próxima semana a Sandra terá 4 novos dentes. Três já romperam a gengiva e o quarto já da pra ver.

Com eles e talvez por causa deles veio nariz escorrendo e novas noites em claro.

Quando penso que finalmente vou voltar a dormir a noite toda, que já sei bastante sobre o sono do bebê, algo acontece e vejo que nada sei e volto a pesquisar novos tópicos, encho minhas amigas de perguntas e continuo lutando e rezando para que essa noite eu consiga dormir sem acordar até o dia seguinte.

Vivo com sono!!! Em menos de um mês a Sandra vai completar um ano e continuamos sofrendo com as noites interrompidas. A Dana Obleman diz que 20% das crianças tem problemas para dormir e dessas 80% continuam tendo problemas na pré-escola o quê como consequências problemas comportamentais e atraso no desempenho escolar.

Ponho tudo a perder toda vez que a Sandra está com algum probleminha pois acabo voltando atrás e a deixo adormecer no colo ou mamando. Aí quando ela acorda de madrugada só volta a dormir se eu repetir a dose. Se acho que ela precisa de mim ou se estou muito cansada acabo cedendo e tudo volta a se repetir.

Leonardo Costa no site O quarto elemento diz que conforme o bebê cresce o maior problema não é mais quando eles acordam de madrugada e sim quando eles não querem voltar a dormir. Ultimamente tenho sentido na pele essa realidade!

Com a Sandra ficando mais espertinha me pego várias vezes sem saber como agir quando ela no meio da noite quer demonstrar suas habilidades novas esperando que eu a parabenize ou talvez desista de tentar colocá-la de volta para dormir. Tento não rir quando faz gracinhas, mas as vezes não resisto.

O pior é que as vezes não sabemos se o dente está vindo até que possamos vê-lo. Há alguns sinais que indicam que os dentes do bebê vão nascer.
- Bochechas avermelhadas,
- Salivação maior que o habitual (babam muito mais do que o normal, as vezes por causa disso dá assadura no queixo)
- As gengivas ficam inchadas
- Maior necessidade de sugar, mas as vezes rejeitam a mamadeira ou o peito
- Assadura de fralda e em alguns casos cocô mole
- Ficam de mau-humor

A Sandra teve quase tudo isso! Também quatro dentes de cima de uma vez, deve ter sido bem incômodo.

Aprendi algumas coisas para aliviar os sintomas:
- Dar coisas geladas para eles morderem. A Sandra não se empolgou muito com o mordedor com água dentro, mas dei pra ela um pedaço de coco que estava na geladeira e ela não o soltava por nada nesse mundo,
- Para os bebês que usam chupeta, dá-la por mais tempo ajuda aliviar o desconforto,
- Limpar as gengivas com uma escova de dentes para bebês ou gaze,
- Não dar açúcar,
- Nas assaduras da boca pode-se passar bepantol, hipoglós ou pode-se pedir algum creme especial para o pediatra.

O médico me deixou dar analgésico infantil a noite então decidi dar mais atenção a Sandra durante o dia, colocá-la no berço apenas quando estivesse quase dormindo, mas deixá-la adormecer no berço.

A Plunket recomenda não mudar a rotina de dormir pois terão dentes nascendo pelos próximos dois anos.

Antes de ontem ela acordou, mas na noite passada dormiu a noite toda, quem sabe nessa...

20091008

Métodos para ensinar o bebê a dormir sozinho - Dana Obleman


Dana Obleman compartilha seus conhecimentos pelo livro "Sleep Sense program". Ela se baseia na eliminação de "props" para dormir.

O denominado "prop", é um objeto, pessoa, ação em que o bebê necessita para conseguir dormir. É o caso da chupeta por exemplo. Há bebê que não adormecem se não estiver com a chupeta.

O meu caso é um exemplo de pessoa, a Sandra só adormecia no meu colo ou quando eu estava ao lado dela no berço, mas há bebês que só adomecem passeando de carro o sendo embalados ou ouvindo música.

O problema dessa dependência para adormecer é que a maioria dos bebês quando acorda no meio da noite não conseguem voltar a dormir a não ser que seja oferecido a ele o balanço, o colo, a chupeta etc. É verdade que alguns conseguem, mas provavelmente não é o seu caso senão você não estaria lendo o blog agora. ;)

É inegável que a chupeta acalma os bebês, especialmente os recém nascidos, mas corre-se o risco de ter que levantar algumas vezes a noite para colocar a chupeta de volta na boca do bebê.

Certamente é muito mais fácil do que embalar ou ficar sentado ao lado do berço, mas a longo prazo torna-se muito cansativo pois ter a moite de sono interrompida muitas vezes arruina o descanso do adulto.

No caso da chupeta ela sugere que dê apenas para acalmar o bebê e recomenda que se tire da boca dele quando estiver quase adormecendo possibilitando que ele durma sem o "prop".

Quanto aos outros "props" ela defende a idéia de que eles devem ser eliminados o quanto antes pois quanto mais velho o bebê, mais dependente ele estará e consequentemente ficará mais difícil. Isso sem falar que o bebê mais velho senta, levanta, fala mamãe, chora e grita mais alto tornando muito mais complicado. Eu que o diga!!

O programa proposto por Dana é uma variação do Ferber, mas ela faz um apelo sensível, livre de regras sob a ótica de uma mãe que já passou por isso.

Ela afirma que os pais podem permanecer no quarto nas primeiras noites, acalmando o bebê só com a voz e não determina tempo específico para ficarem fora quarto quando começarem a sair para permitir que o bebê adormeça sozinho.

Gosto especialmente quando a autora diz "fique o quanto você aguenta pois ele provavelmente estará chorando, se é um minuto, fique apenas um minuto, volte, acalme-o e saia novamente". O importante é que o bebê aprenda a adormecer sozinho pois se acordar no meio da noite, saberá voltar a dormir sozinho permitindo aos pais a tão sonhada noite de sono.

Em alguns casos pode demorar um pouco mais, mas o método sem aquele monte de regras como "não pode pegar", "não pode falar", "não pode voltar antes de tantos minutos" acaba por deixar os pais mais tranquilos, sentindo-se menos culpados e na minha opinião e experiência pessoal com maior chance de sucesso.

Ela comenta sobre o Pick Up/Put Down da Encantadora de bebês funciona melhor para bebês de 4 a 6 meses pois as vezes deixa os bebês nervosos, chorando mais e consequentemente fazendo que os pais desistam.

Veja o vídeo no site dela

Dana Obleman


Veja também

Dormir a noite toda
Dormir a noite toda II
Bebê de dois meses dormir a noite toda
Sinais de cansaço

20091004

O sono do bebê e a chegada de visitas


Muitas coisas interferem no sono do bebê, são sensíveis a qualquer alteração na rotina básica como onde dormir, hora de comer, brincadeiras e atenção recebida.

Como moramos longe da família e amigos recebemos visitas constantes. Ainda bem!!!
No entanto, cada vez que tem uma pessoa nova "morando na casa" nossa pequenina volta a acordar de noite.

Analisando pelo ponto de vista dela é totalmente esperado que isso aconteça. As pessoas que recebemos são em geral amigos próximos ou parentes, muitos na verdade estão aqui mais por causa dela do que de nossa e naturalmente querem curtir a bebezinha.

O dia dela fica muito mais agitado, não tem atenção exclusiva da mamãe, muitas brincadeiras extras, muitos passeios turísticos, almoço no carro, no restaurante ou em qualquer outro lugar. A soneca da tarde ou é no colo da mamãe durante um passeio, ou no carrinho. Enfim, fica tudo diferente. Quando a vou por para dormir ela está exausta, as vezes com sobrecarga chora para dormir e é claro tanta novidade e excitação acabam por despertá-la durante a noite.

Percebi que apesar de tantas mudanças algumas atitudes a ajudam dormir melhor nesses dias diferentes e consequentemente eu também.

-Preservar pelo menos uma das sonecas no berço, no nosso caso, a da manhã;

-Se não conseguir dar muita atenção, oferecer colo, especialmente no final do dia. Carregá-la no colo por uma meia hora antes da hora de dormir a faz adormecer muito mais depressa pois ela relaxa;

-Não fazer brincadeiras que a excitam muito perto da hora de dormir;

-Certificar-se de que se alimente bem apesar dos locais diferentes. Neste caso tenho sempre comigo frutas como banana, maçã ou biscoitos e pão, ela nunca os recusa e não estraga mesmo no calor;

-Levar para locais movimentados o canguru ou o sling ao invés do carrinho pois ela se sente mais protegida, fica menos agitada e ajuda a dormir. Era muito útil especialmente até o oitavo mês quando ela ficar supercansada, com sobrecarga em passeios longos e tumultuados;

-Quando o barulho das visitas a acorda, colocar uma música calma de fundo ou um ventilador, ou algo para disfarçar o barulho.

-E mais importante e difícil, pelo menos no meu caso. Quando ela acordar a noite, após ir verificar o quê há, dar um carinho e deixá-la adormecer sozinha como de costume.