20090824

Viajando com o bebê







Viajar com um bebê é uma missão que exige bastante coragem, viajar com um

bebê sem acompanhante pode ser um verdadeiro desafio. Dizem que as crianças e os
bebês se adaptam muito mais fácil a um novo fuso horário e a uma nova rotina do que nós adultos, mas acho que a mudança foi um fator considerável para arruinar os bons hábitos de sono de nossa pequena Sandra.


Sem ter ainda alcançado o objetivo de tê-la dormindo de novo a noite toda, inventamos de viajar neste fim de semana o que não ajudou muito a retomada da rotina, mas como o objetivo do blog é registrar minha experiência e tudo que tenho aprendido segue um post interessante sobre viagens de avião com bebês. Acho que outras mães de primeira viagem, que pretendem colocar seus pequenos na estrada, podem encontrar algumas dicas úteis aqui.

-As companhias aéreas possuem pequenos berços/moisés (bassinet) que são atachados na frente das poltronas da primeira fileira tanto da classe econômica quanto da primeira classe. O problema é que a maioria das empresas não divulgam e precisamos pedir, as vezes exigir, esse serviço que pode garantir que o bebe, a mãe e outros passageiros durmam durante a viagem. Não é necessário pagar extra por ele e o limite de peso e idade do bebê varia de empresa para empresa.


- Caso não seja possível reservar o bassinet, costumam dar preferência para bebês mais novos, marcar o assento da primeira fileira pode ser muito útil pois tem mais espaço e fica perto  dos toilets.  Com a Sandra já sentando, ter espaço para colocá-la sentada no chão na minha frente foi muito útil.














-A cadeirinha do carro/ bebê conforto pode ser usado caso os pais optem por comprar um assento extra para o bebê, em geral é permitido tê-los no colo até dois anos. Neste caso se o bebê estiver dormindo no destino final é só pegar a cadeirinha com ele dentro sem precisar interromper o soninho do pequeno.

- Se não comprar um assento extra para o bebê, peça para utilizar um assento livre. Algumas companhias permitem, mas não oferecem. Não custa nada pedir pedir. Neste caso prefira o da segunda fileira pois os braços da primeira fileira da maioria dos aviões não levantam.

- Entretenimento - Levar alguns brinquedos pequenos é fundamental para não deixar o bebê irritado por estar confinado ou superestimulado com tanta coisa diferente. No entanto é melhor dar um por vez. Na primeira vez que viajamos dei todos de uma vez, ela logo se cansou deles e começou a chamar a atenção das pessoas a volta. Quando os outros passageiros cansaram de dar sorrisos ela já estava superagitada e como não tínhamos para onde correr o berreiro foi inevitável e com a sobrecarga ela não conseguiu dormir. 

- Para os pequenos que já iniciaram as papinhas, bolachinhas também podem ajudar entreter. As de polvilho são minhas favoritas, demoram para acabar.

- Para maiorzinhos DVDs portáteis e Ipadpodem ser a salvação.

- Rotina - Em caso de viagens longas é melhor manter os horários de alimentação e sono o mais próximos possível do de costume garantindo dessa maneira não deixar o bebê com fome, sono ou lotado de comida.

- Suprimentos -Não esquecer das fraldas, se o bebê tiver que ficar sujo por falta de fralda, provavelmente, não vai querer dormir. Roupas extras também são importantes, o bebê pode vomitar, se molhar etc. Melhor vesti-lo em várias camadas (leves) pois nunca sabemos a temperatura do avião.

- O ar do avião é muito seco, o bebê pode ficar com sede, é bom ter uma mamadeira ou copinho de água à mão.

- Se o bebê toma fórmula/leite em pó, melhor já levar algumas mamadeiras já prontas ou quase prontas pois se depender da disponibilidade da comissária para prepará-la pode atrasar meia hora e consequentemente atrasar a soneca.

- Remédios - Há alguns remédios que induzem o sono, é possível pedir
para o médico, mas é uma boa
idéia testar antes. Já pensou se dá efeito inverso e a ferinha fica acordado e superestimulado a viagem toda?
Um paracetamol à mão pode ser de grande ajuda.

- Carrinhos - Na maioria dos casos é possível levá-los até a porta da aeronave e pegá-los na saída. Os modelos pequenos e facilmente dobrável (guarda-chuva) muitas vezes podem ficar guardados no setor de passageiros o que facilita muito a vida em caso de conexão pois pode-se colocar o bebê adormecido e com ele ali passear pelo aeroporto enquanto espera o horário do próximo vôo.

- Acessórios - Cangurus e Slings ajudam bebês supercansados a dormir no translado aeroporto - aeronave e ainda permitem que se fique com as mãos livres, existem também, coleiras para prender as ferinhas e carriers (veja foto) uma espécie de mala para por o bebê dentro para dormir e transportar.

Quanto a chegada no destino a melhor coisa é manter o bebê dormindo da maneira habitual. Tenho algumas amigas que tem seu próprio berço portátil garantindo que seus bebês possam continuar adormecendo no berço. Em toda viagem o bebê dorme no mesmo bercinho já familiar.

Como não perder a rotina conquistada? NÃO SEI! Acho que foi assim que todos os meus problemas começaram. Depois da viagem tudo mudou. :)

Veja também:
Viajando com o bebê III




20090819

Técnicas gentis e criativas - Como conseguir (os pais) dormir a noite toda


"Não sabia que a Sandrinha dava bailes para dormir.Quando o Pedro era pequenino, comprei vários livros sobre sono da criança e fiquei bem dividida entre deixá-lo chorar e levá-lo para minha cama. Optei por levá-lo para a minha cama, conclusão....ele até hoje vai para minha cama por volta das 02:00h. Nosso sono é tão profundo que nem vemos ele entrar no nosso meio e confesso que gostamos do quentinho, amor e aconchego que nós passamos um para o outro.

Nunca ouvi falar de adulto com problemas porque ia para a cama da mãe de madrugada, então deixamos ele dormir com a gente. Sinto que ele fica feliz, dorme bem e não atrapalha a gente, pois na hora que ele vai pra nossa cama já namoramos o suficiente.
O Pedro é muito carinhoso, seguro, faz amigos com facilidade,mas também é mimado. Acho que eu e o André não fazemos mal em deixar ele na nossa cama, embora a pediatra recrimine! Criar esses pequeninos é uma delícia! Acho que estamos acertando mais do que errando!

Você deve estar cansada de saber que cada criança tem seu tempo. Não espere que a Sandra vá cumprir o schedule dos filhos(as) de suas amigas, irmãs, primas etc......

Algumas etapas a Sandra vai ser a primeira(ficar na pole position) ,e outras ela será a última.Normal.
A nossa ansiedade faz com que a gente não aproveite cada momento com o babies....Não deixe de aproveitar!
Daria tudo para trocar uma fralda do Pedro!!!!Hj ele é independente, mas dá uma saudades.Por mais que eu um dia vá trocar fralda de outro filho, essa experiência, com o Pedro, já era.Por isso aproveite cada fase de usa gostosinha!


O Pedro com 8 meses dormia no berço dele a noite toda. Ele ia dormir 20:30 hrs e acordava 07:00hrs. Nos dias de muito frio ele acordava de manhã eu trocava a fralda e ele dormia mais um pouco na minha cama. Nunca consegui fazer como a "encantadora de bebes" diz: dar boa-noite e sair do quarto!!!!Era um choro só, eu ficava nervosa com o choro dele. O Pedro sentia o meu nervoso,era um stress. Para mim não serviu.

Não faça da hora de dormir um momento de tensão para vcs 3.

Eu ficava com ele no meu colo no quarto dele até ele dormir, depois deitava ele no berço saia de fininho do quarto. UFA, missão cumprida! Depois que ele saiu da fralda, ele acorda lá pelas 3:00da madrugada para fazer xixi, e aí vai pra minha cama. Não ponho ele direto na minha cama para dormir porque a gente dorme mais tarde que ele. O Pedro quer iniciar o sono no quarto dele, e depois do xixi, vai pra minha cama.

Hj nossa rotina é essa:
Busco ele na escola as 17:00h. Chega faminto e janta. Brinca na rua, em casa ou na casa dos amigos, até as 19:30h. Toma banho, escova os dentes e assiste um pouco de TV ou joga Video-Game até as 20:30hrs. Deito com ele na cama dele (e é só desse jeito que ele dorme), conto história e good night. O resto você já sabe: acorda de madrugada e vai pra minha cama!

Antes ele não tinha "os medos" agora, está na fase do monstro, acha que no escuro tem monstro, rsrsrs, é engraçado a imaginação deles! Acorda as 7:00h para ir na escola as 08:00h. Ele já sabe a diferença de dia de semana e fim de semana, então agora de sexta-feira e sábado, dá pra sair da rotina totalmente, ele dorme tarde, acorda tarde.

Depois da fase de neura com o sono, tive neura com alimentação.Ele não comia nada!!! Eu fazia de tudo, mas era tudo em vão. Um dia estava passando o desenho do Lazy Town, peguei o telefone e liguei para a mãe do Spotacus(herói do desenho),e a mãe dele ia dar de janta para o Sportacus exatamente o que tinha em casa para comer. Que coincidência!!!rsrsrs o Pedro caiu nessas por um bom tempo! Depois da neura com comida veio a neura com desfraldamento.......

Alguns amiguinhos saíram da fralda com 1 ano e 11 meses e o Pedro só fazia xixi na calça! Ele desfraldou com 2 anos e 2meses. Agora, pensa de uma maneira racional, que diferença faz desfraldar com 1 ano e 11 meses ou com 2 anos e 2 meses!!!!

Atualmente minha neura é que ele está comendo muito, tenho medo que engorde!Ah! tem também a neura de desenhos violentos, jogar muito video-game. Fabi, acho que nunca vai passar. As fases mudam, mas a gente sempre vai ter uma ponta de insegurança.

O dr. Hernrique(pediatra) diz que ele é normal e saudável, não tenho com que me preocupar!O ruim seria e ele tivesse um problema de saúde sério, que aí não seria neura seria uma realidade.

Quanto aos livros,
-A encantadora de bebês
algumas técnicas foram legais, outras não.

O que mais me ajudou foi o grupo:
Soluções Para noites sem choro.

Li o livro Criando Meninos. Nada do que a gente não conheça! Mas valeu a pena ler.

Estou amando relembrar quando Pedro era bebê, estou amando compartilhar com você e outras mães."

Depoimento da Andrea, mãe do Pedro, hoje com 4 anos , sobre sua experiência e rotina em criar seu filho em clima de harmonia.

Dormir é uma habilidade que se aprende?


Após três noites em que a Sandra acordou apenas uma vez, hoje ela acordou várias e teve bastante dificuldade de voltar a dormir.

Como ainda era nove e pouco, dei mamá de novo, peguei no colo, mas ela continuava inquieta parecia que algo a estava incomodando. Sabe quando a gente não acha posição para dormir e fica rolando na cama? Ela estava exatamente assim e ficava brava por não conseguir voltar a dormir. Demorou uma hora, de olhinhos fechados, resmungando e se virando.

Isso me fez pensar em algo: Será que conseguimos de fato ensinar um bebê a dormir? A Plunket afirma ser uma habilidade aprendida. Ou será que algumas pessoas tem mais talento que outras como pintar, cozinhar etc

É fato que conseguimos condicionar um bebê a dormir de alguma maneira como sendo balançado, no colo, na rede ou no berço como estou fazendo.

Mas considerando dormir uma habilidade, infelizmente minha filha herdou esse defeito pois mesmo estando cansada as vezes demoro muito para dormir. Sempre fui assim. Sempre invejei aquelas pessoas que deitam na cama e apagam.

Se essa hipótese for verdadeira terei que ser mais paciente e tolerante para dar todo o suporte que minha pequena precisa.

20090818


Segue a mensagem da Isabella com seu breve, mas profundo depoimento.

"Estou impressionada com sua dedicação, não só em pesquisar e testar todas as estratégias de sono, como também em manter o blog contando suas experiências.

Me lembrei muito os momentos que passei com meus pimpolhos. Fiz todos os erros que pude com o primeiro e os repeti com o segundo. rsrs

Botei na minha cama, dei mama deitada e varei noites em claro. Quando ouvimos os conselhos e dicas dos especialistas tudo parece bem claro e sensato, mas as 4 da manhã, após muitas e muitas noites mal dormidas, bate o desespero e somos capazes de qualquer mimo que nos deixe descansar um pouco.

Enfim, todos sobrevivem. As mães, que por incrível que pareça depois dessa fase voltam a desejar uma nova barriga (nem sempre) e os filhos que crescem rapidinho e não se lembram de nada disso. Claro que lá no fundo ficam marcadas todas as experiências que nós fizemos com nossas cobaias - um trauminha aqui outro acolá, afinal os terapeutas precisam de algum trabalho mais tarde.

Mas todos os nossos erros e acertos com nossos bebes, fazem parte natural do processo de desenvolvimento mútuo de nossas vidas. Crescemos todos nesse processo."

" Filhos, melhor não te-los, mas se não te-los como sabe-los" (Vinicius de Moraes)

Isabella é música e professora, tem uma participação muito importante na divulgação da cultura brasileira aqui em Wellington divulgando músicas brasileiras e organizando festivais.
Blog da Banda da Isabella

Como o bebe Deco começou a dormir a noite toda

Obrigada a todos pelas mensagens de apoio. Estou copiando abaixo o depoimento da Angela, minha amiga querida que tem dado várias dicas legais e bastante apoio aqui no blog.

É uma história de sucesso, muito bom lê-la para continuar motivada. É bom saber que é possível direcionar o sono do bebê de uma maneira que se torne um hábito saudável para a mãe e para o bebê.

O Deco é um bebê muito esperto e tem 5 meses.

Obrigada Angela

"Vou contar o passo-a-passo da evolução do Deco (5m) nesse último mês.
Depois que eu escrevi o post "desisti" comecei a fazer o Deco dormir no colo mesmo. Criei um ritual antes e ficava com ele no colo 20, 30 minutos até ele dormir. Fiz isso sempre nos mesmos horários (soneca de manhã, depois do almoço e no final d tarde) durante uns 10 dias para ajeitar o relógio biológico dele.
Depois disso comecei a fazer ele acalmar no colo durante uns 10 minutos e colocava ele no berço ainda acordado. Ficava ao lado dele fazendo carinho até ele adormecer. No começo demorava de 20 minutos a 40, mas ele começou a adormecer sem o colo. Mais uma semana assim. Ao final dessa semana eu já estava acalmando ele no colo por apenas 5 minutos para que ele não apagasse antes de chegar ao berço.
Na semana seguinte, ritual, colo por 5 minutos, berço, beijo e tchau. No começo ele demorava uma meia hora para dormir e uma vez ou outra eu voltava para acalmá-lo. Agora, mal dá tempo de ficar com ele 5 minutos no colo e ele adormece no berço depois de 5 a 15 minutos. Resmungando, reclamando, às vezes brincando com o pé ou com o desenho da almofada, mas adormece logo.
Resumo da história, quase um mês para chegar onde estamos. Tivemos paciência e fizemos um progresso de cada vez ao invés de impor todos os passos de uma hora para outra.
Na verdade, seguimos um pouco o livro da encantadora de bebês, mas ela fala em 3 dias para ajeitar a rotina do bebê. Decidimos fazer esse processo de transição mais lento... e no final deu certo igual.

Como ele está dormindo melhor, não é todo dia que ele precisa da soneca da tarde. Isso sobra mais tempo para ele brincar e se divertir e como resultado também ele dorme melhor e mais rápido a noite."

20090817

Síndrome da Morte Súbita Infantil (SMSI) - o quê é isso?

Já que fizemos progressos, mas ainda não chegamos onde queríamos com o sono da nossa pequena vou escrever sobre algo importante. O assunto é chato, mas acredito que deve ser divulgado.

A morte súbita infantil é quando os pais encontram o bebê aparentemente saudável que supostamente estava dormindo, morto no berço.

As causas são meio desconhecidas podendo ser sufocamento, infecção, anomalia cardiovascular, doenças genéticas, deficiência de metabolismo e algumas outras causas.

Vou me concentrar em divulgar os dados estatíscos e a melhor maneira de prevenir. Os números são para o primeiro ano pois após essa idade o risco praticamente desaparece.

Não é para as mães ficarem neuróticas como eu fiquei, mas para minimizar ao máximo até porque o número de mortes é bem pequeno de 1 para cada 3000 nascimentos.

O número de mortes de SIDS é maior nas seguintes situações:
- A mãe é fumante ou fumou durante a gravidez
- O bebê não dorme de costas
- Bebês do sexo masculino
- Que não são primogênitos (Há suspeitas de que as toxinas de um colchão velho podem inlfuenciar)
- Que tem entre 2 há 4 meses (a maioria ocorre antes dos 6 meses)
- Dormem em cama macia ou frouxa
- Superaquecimento
- Filhos de mães adolescentes

Em 2000 a AAP (American Academy of Pediatrics) iniciou uma campanha para que os bebês dormissem de costas e com isso conseguiu reduzir em 40% o número de mortes por SIDS. Em 2004 o número caiu pela metade comparando com os dados de 1980.

Para reduzir o risco de SIDS deve-se:
- Não fumar em hipótese nenhuma na gravidez
- Deitar o bebê de costas (sua mãe e sua avó irão te dizer o contrário, minha mãe só se conformou depois de ver a campanha no fantástico)
- Escolher um colchão firme e novo de preferência
- Manter a roupa de cama sempre limpa e bem esticada.
- Preferir várias cobertores finos a um grosso e pesado. De preferência mantê-los presos ao colchão.
- Não superaquecer (não o encha de roupas) o bebê, o ideal é que o quarto esteja entre 16 e 23 graus. As mãozinhas do recém nascido devem estar levemente frias. Isso não significa que ele está com frio.
- Amamentar, o risco é menor em bebês que mamam no peito
- Aqui na Nova Zelândia recomendam manter o bebê até o sexto mês, no quarto dos pais, porém em um Moisés ou berço elevado ao lado da cama do casal.
- Há novos dados sugerindo que a chupeta também reduz o risco de SIDS

Não é recomendado o uso de acessórios para manter o bebê de lado.

Para as mães neuróticas como eu fui há babás eletrônicas que monitoram a respiração do bebê, a temperatura do quarto e há também com imagens. Prometo fazer um post futuramente.

Em inglês os termos são SIDS - Sudden Infant Death Syndrome e SUDI - Sudden Unexpected Death in Infancy.

Veja mais:
EPM
aap
http://boasaude.uol.com.br/lib/ShowDoc.cfm?LibDocID=3909&ReturnCatID=1800
http://www.sids.org/
http://en.wikipedia.org/wiki/Sudden_infant_death_syndrome
http://pt.wikipedia.org/wiki/S%C3%ADndrome_de_morte_s%C3%BAbita_infantil
http://www.pubmedcentral.nih.gov/articlerender.fcgi?artid=1770550

The Happiest Baby on the Block - Harvey Karp, M.D.
O Que Esperar do Primeiro Ano - Murkoff, Eisenmberg e Hathaway

20090816

Décimo dia - dormindo com o papai


Dessa vez fui trabalhar. Então o papai teve mesmo que fazer toda a rotina de colocar nossa filhinha para dormir sozinho.

Ele disse que foi tudo bem até a hora do banho. Mas assim que saiu da banheira e a mamãe não foi vesti-la como de costume o berreiro já começou.

Não quis mamar no copinho de jeito nenhum e após chorar bastante de indignação acabou dormindo sem mamar mesmo. Acordou por volta das 10h, aproveitei e dei o peito.

Na noite passada a Sandra acordou somente duas vezes e bastou que eu colocasse a mão na barriga dela para que voltasse a dormir. Acordou uma terceira vez, mas já era por volta de 5h da manhã. Como o berço dela fica inclinado por causa do problema de ouvido e ela se mexeu bastante durante a noite acabou acordando de ponta cabeça.

Então a ajeitei no berço e ela voltou a dormir até quase 7h da manhã.

As sonecas do dia também foram mais fáceis e como ela não tem mais acordado tanto durante a noite eliminamos o terceiro cochilo que era por volta das 4h da tarde. E como ela tem dormido um pouco melhor está muito mais bem humorada e engraçada.

20090815

livro Shiatsu

Massagem relaxante para bebês


Recebi algumas dicas para massagear a Sandra para ajudá-la a relaxar e dormir melhor. Obrigada pelas dicas.

Na verdade a massageio desde bem pequena, mas sem técnica apenas passando minhas mão suavimente por todo o seu corpinho. Ela gosta, mas desde que começou a se sentar ficou bem difícil conseguir matê-la deitada.

O que faço agora é um pouquinho de massagem na barriga e nas perninhas nas trocas de fralda quando ela está disposta. O que inclussive ajuda no funcionamento do intestino.

Ela teve intestino preso assim que começamos a introduzir os sólidos e a enfermeira da Plunket nos recomendou que massageássemos a barriguinha dela várias vezes por dia. Como aqui na Nova Zelândia não tem aqueles supositórios de glicerina. Levei bem a sério o conselho e funcionou.

Comprei até um livrinho de Shiatsu (foto) para bebês para aprender algumas técnicas como a de indução ao sono. Mas acho que não faço direito ou não faz efeito na Sandra. :)
Na verdade não acho que ela tenha falta de sono e sim falta de vontade de dormir. De qualquer maneira continuo tentando. Mas infelizmente após o banho ela não tem muita paciência. Quer ficar sentada ou de pé enquanto lutamos para vesti-la. Talvez ela já esteja muito cansada na hora do banho. Vou tentar dar o banho um pouco mais cedo.

Quanto a Shantala que parece ter ficado famosa no Brasil por causa da novela também é bem relaxante, mas nunca consegui fazer o ritual todo então na prática faço só oque ela gosta no tempo que ela aceita e curtimos bastante o momento.

Na verdade o importante é o contato físico, para os bebês que não gostam de ser massageados o abraço, colo e carinho são ótimos substitutos.

Já foi comprovado que os bebês que não são tocados mesmo recebendo alimentação suficiente falham no ganho de peso e desenvolvimento e os bebês prematuros que são massageados pelo menos vinte minutos por dia ou que tem bastante contato pele com pele estatísticamente ganham peso mais depressa e tem mais chances de sucesso.

O site abaixo é legal, explica simplificadamente e mostra algumas fotos.
Shiatsu

Veja o vídeo também



Bibliografia
O que esperar do primeiro ano - Murcoff, Eisenberg e Hathaway
Touch for love Shiatsu for your baby - Waturu Ohashi e Mary Hoover

20090814

Nono - papai colocando para dormir


Finalmente algo a comemorar. Na noite passada a Sandra acordou apenas uma vez por volta da meia noite, mas depois acordou as 5h da manhã. Dei o peito como café da manhã e ela voltou a dormir.

Quem a colocou para dormir foi o papai. Parece que quando é ele quem coloca ela dorme melhor o que me faz pensar que as acordadas frequentes são pela ansiedade de separação.
Me ocorreu que quando ele a coloca para dormir ela não acorda tantas vezes para ver se ainda estou lá porque eu já não estava quando ela adormeceu.

Resolvemos então repetir a dose. Ele está lá com ela no colo, mas ela está chorando como se estivesse sozinha no berço. Estou morrendo de vontade voltar lá, (...)mas o papai não resistiu e acabou vindo até aqui.

Fui até lá a acalmei no colo e a pus no berço. Tive que ficar com a mão na barriguinha dela, mas dormiu rapidinho. Essa madrugada será do papai.

20090813

Sétimo e oitavo dia


Tivemos progressos, "levantamos acampamento", mas parece que o processo vai demorar mais do que eu imaginava. Portanto o blog vai ficar muito repetitivo se eu continuar a detalhar dia a dia.
Voltamos a colocar a mão dentro do berço para que ela adormeça.

Na últimas duas noites a Sandra dormiu das 6h30 até as 3h da manhã direto, sem interrupções. O truque de falar pela babá eletrônica funcionou só uma vez. A colocamos mais cedo porque é o único jeito de ela não dormir mamando.

Após as 3h ela acordou umas 4 vezes e na noite anterior não resisti e acabei dando de mamá pra ela por volta das 4. Evito ao máximo amamentar na madrugada porque sei que ela não precisa mais dessa mamada e não quero que ela crie esse hábito de novo, mas ela pediu, não havia comido muito bem no dia anterior e eu estava com muito sono precisa voltar a dormir logo.

Como ainda estou um pouco cismada com o problema de ouvido que ela teve vou levá-la num otorrino.
Sei que para que eu consiga me afastar do berço, vai ter choro, mas não quero que ela se sinta abandonada com dor e não posso ficar dando paracetamol todas as noites para ter certeza. O ruim é que a consulta mais próxima é só no dia 27.

Segunda vou na Plunket, vou conversar bastante com a enfermeira sobre o assunto.

20090812

Voltando a rotina - Sexto dia


Apesar da Sandra ter acordado 4 vezes na noite passada continuamos fazendo progressos. Agora basta eu dizer "naná" do meio do quarto que ela já acalma e adormece sozinha. Mas antes preciso deixá-la só por uns 5 minutos pois senão ela fica levantando no berço e querendo brincar comigo. Ela chora, espero um pouco, como ela não tem parado volto lá.

Daí a coloco deitada de novo e fico no quarto quando ela reclama eu repito naná e ela adormece. A nossa babá eletrônica tem câmera e receptor de som no quarto dela. Se ela acordar essa noite vou tentar falar pela babá. Vou torcer para que funcione.

Nas sonecas do dia não estou tão rígida, hoje saímos e a deixei dormir na cadeirinha do carro. Dormiu menos do que de costume, mas dormiu.

Visitei o site da Johnson&Johnson, apesar de estarem divulgando seus produtos, está bem interessante mostrando dicas de massagem relaxante e banho. Vale a visita. Johnson&Johnson

20090811

Ferber na espera


Apesar de ter fraquejado as coisas estão começando a melhorar. Parece que minha presença ao lado da nenêm não a excita mais e hoje bastou que eu ficasse ao lado dela no quarto e quando ela reclamava eu só dizia naná e ela voltava a deitar.

Na verdade ela se levantou no berço umas três vezes, a coloquei de volta deitada e tentei sair, mas quando ela começou a chorar mesmo retornei e decidi tentar acalmá-la por lá. Deu certo!

Demorou uma meia hora para que ela dormisse e ela acordou uma vez até agora, mas o papai só disse naná e ela voltou a dormir.

Vou tentar usar a técnica de me afastar do berço. Me sinto melhor assim. Nunca devia ter lido "Helping your baby to sleep", as autoras condenam totalmente qualquer treinamento para dormir. Prometo comentar os livros em um post, enquanto isso veja o comentário alheio.

De qualquer maneira estou decidida a continuar. Pois mesmo que ela se sinta um pouco abandonada, a custo de um pouco de sofrimento ela criará bons hábitos de sono o que com certeza a trará muitos ganhos. Além disso ela sabe que pode contar comigo quando precisa. Segundo a enfermeira da Plunket, a estou ensinando uma importante habilidade.

Reduzi um pouco o ritmo, sei que se tivesse sido um pouco mais consistente no método ela provavelmente já estaria dormindo a noite toda de vez, mas confesso que não consigo.

Esse processo não está fácil, mas finalmente trouxe o papai comprometido como nunca no sucesso dessa empreitada.

20090810

Ferberização 3 e 4


Ontem foi meu dia (papai e mamãe estão alternando), por isso não escrevi. Foi meio complicado. A Sandra chorou por uma hora e acordou diversas vezes.

Agora basta ficar com a mão sobre a barriga dela que ela acalma. Não aguentei deixá-la chorando lá sozinha. Acho que sou fraca. Provalvelmente é por isso que ela continuou acordando pois continua precisando de mim para voltar a dormir.

Quando ela tinha uns 3 meses tentei usar dessa técnica, mas a minha presença acabava por excitá-la. Eu tinha que deixá-la só mesmo. Mas raramente chorava pra valer e se eu a colocava no primeiro sinal de sono ela dormia sem reclamar.

É incrível como as coisas mudam depressa, agora mais velha e mais esperta ela já consegue me dobrar. Hoje ela dormiu mamando e é claro acordou logo em seguida, mas quem foi no quarto foi o papai. Ele ficou com a mão nela, mas ela dormiu rapidinho resmungou, mas não chorou. Já são 11h e ela continua dormindo. Essa madrugada é dele.

Parece que ela está conseguindo dormir sem o objeto de conforto dela (eu).

20090808

Ferberização- parte II

Pelo menos tanto sofrimento surtiu algum efeito. Após colocá-la as 6h30, ela só dormiu por volta das 8h e acordou 9h30. Posso considerar um progresso uma vez que costumava acordar uns quinze minutos após adormecer no meu peito.

A peguei no colo, dei um carinho e a pus de volta no berço. Ela reclamou uns 2 min, mas dormiu em seguida. Acordou de novo por volta da meia noite, provavelmente com nosso barulho indo deitar. Demorou uma meia hora dessa vez, mas sem muito choro. A parte difícil foi entre 2h e 3h da madrugada que ela chorava então resolvi ficar com a mão na barriguinha dela. Ela finalmente adormeceu e acordou as 6h da manhã. Estava faminta então não tive tempo nem energia de preparar o café da manhã e dei o peito. Ela então dormiu mamando. A coloquei de volta e só acordou de novo as 8h da manhã.

Apesar de nossas olheiras ela estava bem mais animada nesta manhã, afinal fazia muito tempo que não dormia tanto. Acordou só três vezes.

Nas sonecas da tarde repeti o mesmo procedimento e também teve muito choro. A rotina do dia ficou meio atrapalhada pois ela chorando levou mais tempo para dormir, acordou, mais tarde e os horários das refeiçõs ficaram meio atrapalhados.

Hoje que colocou foi o papai. Como eu já estava bem abalada com tanto choro resolvi sair de casa. Então dei mamá e fui ao supermercado. Segundo meu marido, ela chorou apenas 10 min. Ele foi no quarto uma vez só e desta vez bastou passar a mão na barriga dela.

Agora são 11h da noite e ela acordou. Ele está lá no quarto. A madrugada é dele, mas vou dormir pois mesmo não me levantando sei que ficarei atenta.

20090807

Depoimento - Ferberização sem Sansão



Na última semana estive colocando a Sandra para dormir no berço, mas ficava com a cabeça deitada ao lado dela. Ela ficava mexendo em mim até adormecer. Eu sou o objeto de conforto dela. Falando nisso não consegui instituir o Sansão (o coelhinho azul que comprei) como o objeto de transição dela. Decidi não forçar nada para não arranjar outro problema no futuro.

Enfim, hoje foi o grande dia, inclinei um pouco mais o berço, ajeitei a grade que estava fora e separei o paracetamol. A Sandra estava muito cansada então a coloquei para dormir 20 min mais cedo. Ela dormiu bem durante o dia e estava bem relaxada.

Evitamos brincadeiras na parte da tarde. Ela acordou as 3h, mamou, a deixei engatinhar bastante para ter um cansaço físico (espero ter feito certo), dei bastante colo, ouvimos músicas calmas e lemos os livrinhos preferidos.

Ela quase dormiu mamando então mantive a luz do abajur mais forte e tive que ficar falando e mexendo com ela para que não adormecesse. Comecei a cantar pra ela a cantiga de ninar sempre e ela já estava quase dormindo. A coloquei no berço imediatamente. Eu a cobri e disse as frases de sempre "vamos nanar a nene", "boa noite", mas dessa vez não deixei a minha cabeça ao lado dela. Ela ficou tentando segurar minha mão e assim que saí ela começou o berreiro.

Me escondi atrás do berço e cronometrei longos 3min. Voltei tentei acalmá-la no berço sem sucesso, peguei um pouco no colo, ela chorava sentida. Já fiquei com os olhos cheios de lágrimas. Assim que ela se acalmou a pus de volta explicando que era hora de nanar e repeti as frases acima.

Voltei para trás do berço, me escondendo atrás do porta fraldas. Dessa vez ela, berrando ainda, se virou de bruços, ficou de gatinho e me descobriu lá. Ficou tentando me alcançar pelas grades. Já comecei a pensar em desistir.

Dessa vez saí do quarto, quando voltei ela enquanto chorava ficava tentando mostrar a língua, brincadeira que ela nos faz rir muito. Assim que se aclamou saí de novo.

Dessa vez o choro de soluços mudou para um choro com gritos, estava brava. Esperei interminaveis 10min dessa vez. Ela ficou de pé no berço. Quando cheguei lá estava com os dois bracinhos pra fora me chamando, meu coração terminou de se partir.

A peguei novamente ela estava exausta, chorava com os olhinhos fechados. Já quase dormindo quando a pus de volta. O berreiro continuou. Nessa hora eu estava aos prantos com a velha sensação de pior mãe do mundo.

Meu marido precisou me acalmar. Me lembrou que nos últimos dois meses a nenem vinha acordando de 40 em 40min e só voltava a dormir após eu segurá-la e depois deitar ao lado dela e ficar lá por um tempo, inclusive nas madrugadas. Recordou em como era mais fácil pra mim e ela era mais bem humorada quando dormia sozinha no berço e dormia melhor.

Enfim, após 1h20min ela adormeceu. Que alívio! Foi então que desabei. Chorei por uma meia hora. O que me matava era a certeza de estar fazendo isso mais por mim do que por ela. Já estou no meu limite de sono, stress, cansaço...

Mas não atender a seus chamados me deixou em frangalhos. Espero estar fazendo a coisa certa.

20090806

Prevenindo

Hoje levei a Sandra no médico para um check up antes de deixá-la para dormir sozinha, ou seja, antes de deixá-la chorar.

Queria me certificar de que ela não estivesse com nenhuma dor. Fiquei satisfeita por ter esperado para tomar minha decisão. Descobri que ela tem os canais que ligam o nariz e os ouvidos obstruídos e por causa disso ela teve dor de ouvido depois de termos andado tantas vezes de avião. A pressurização e o catarro formaram uma dupla bem perigosa.

Segundo o médico este é um problema bastante comum e que muitas mães nem ficam sabendo.

Ele sugeriu elevar o berço para evitar que os fluidos pressionem os ouvidos e causem dor. Receitou também gotinhas para pingar no nariz quando for viajar de avião.

Só por precaução acho que vou dar pracetamol pra ela. Não gosto de dar remédios, mas gosto menos ainda da idéia de deixá-la chorar com dor.

20090805

Dividindo a cama com segurança



Já entrei nesse tema. Vou divulgar aqui o que descobri enquanto pensava seriamente em manter nossa filhinha dormindo conosco.

É questionável se dividir a cama aumenta ou diminui o risco de morte súbita. Há quem diga que reduz pois a mãe está mais próxima do bebê caso algo aconteça e há também o risco de que ambos os pais rolem sobre o bebê.

Cheguei a conclusão de que se o bebê for bem novinho, até dois meses, dividir a cama, desde que com segurança, pode ser bem vantajoso pois a mãe não precisa levantar despertando totalmente para as mamadas da madrugada. Dá pra dar o peito quase dormindo.

Como assim tão pequeno o bebê nem se dá conta de muita coisa mesmo mudá-lo para o berço depois não será nenhum problema.

Vantagens:
- Melhor amamentação e consequentemente menos problemas com o aleitamento no futuro.
- Melhor qualidade de sono para os pais e para o bebê
- Menos choro

Mas algumas dicas de segurança devem ser seguidas:
- O colchão tem que ser bem firme e o bebê deve ter sua própria coberta
- Não colocar edredons para o bebê, melhor optar por mais de um cobertor se necessário
- Nenhum dos pais pode beber alcool nem tomar drogas, é claro
- Nenhum dos pais deve ser fumante
- Nenhum dos pais pode ser muito obeso
- Não dividir a cama se um dos pais tem o sono muito pesado

Após noites muito mal dormidas temendo ou derrubar a nenê da cama ou tê-la esmagada pelo meu marido descobri que existem acessórios úteis como grade de proteção portátil e uma espécie de moisés que pode ser colocado entre os pais permitindo ao bebê um cantinho reservado e seguro. Veja nas fotos. Dá pra comprar pela Amazon, veja o link abaixo.


moisés
grade

Dividindo a cama com o bebê

Nosso "acampamento" foi montado no quarto da Sandra, nossa bebê, com o objetivo de colocá-la de volta no berço de uma forma mais gradual. No entanto o que tem acontecido de fato é que ela acaba acordando na nossa cama.

Isso porque, como citei em um post anterior, fico tão exausta que acabo desistindo e a deito ao meu lado na cama.

Tanto tempo se passou que finalmente tomei minha decisão. Vou deixá-la dormir sozinha no berço, ou seja, vou deixá-la chorar até dormir. Tomei essa decisão porque a qualidade do sono dela e do meu estão tão ruins que ambas andamos tão cansadas que já está comprometendo a qualidade do nosso tempo juntas e de seu desenvolvimento.

Mas até decidir me questionei do porquê não deixá-la de vez em nossa cama. Descobri que em várias sociedades dormir junto é a regra. Os Maoris e várias tribos indígenas sempre dividem a cama e amamentam conforme a demanda do bebê. Descobri que problemas com o suprimento de leite praticamente são inexistentes nessas sociedades.

Na nossa sociedade, dormir junto é quase um tabu e muitos casais que dividem a cama com o bebê nem sequer conseguem admitir publicamente. Eu mesma estou sendo tão massacrada pela família e amigos que chego a questionar minha decisão de deixá-la só temendo estar agindo sob pressão. Além disso tenho questões sem respostas.

Neste momento em que a ansiedade de separação tem nos consumido, não será esse o pior momento para deixá-la se acalmar e dormir sozinha?

Como me certificar de que ela não esteja com dor ou desconforto?

Como saber se ela não se sentirá abandonada?

20090804

A ditadura dos livros para pais

Fui numa palestra aqui: "Polically Incorrect Parenting Show" de Nigel Latta, um kiwi muito engraçado e que coloca várias problemáticas que vários pais vivem com muito humor.

Nigel é uma figura cômica e mostra imagens engraçadíssimas, só não curti mais porque o dito cujo fala muito depressa e eu, uma não "native speaker", perdi quase metade das piadas. :(

Fui no show no auge do meu sono, quer dizer, da falta dele, mas valeu para melhorar o humor e dar boas risadas de mim mesma.

Uma das piadas foi sobre a ditadura dos livros de autoajuda para pais, aqui conhecidos como "parental books". Ele chama de ciência dos parental books. Ditando a hora e por quanto tempo os bebês e crianças devem dormir, onde domir, como acordar, como comer, como se comportar etc. E no final das contas as informações que deveriam orientar e acalmar os pais acabam por deixá-los ansiosos e frustrados já que raríssimos bebês seguem a escala ideal de sono, desenvolvimento e comportamento.

Infelizmente não me lembro mais de muitas piadas por causa do gap do idioma e porque comecei a escrever esse post um tempo atrás, a Sandra acordou e só me lembrei de terminá-lo hoje pois li um conto engraçado num outro site.

Me dei conta de como é importante levarmos a vida com humor e sabermos rir de nós mesmos nos momentos mais difíceis e desafiadores como criar um primeiro filho que não aprecia dormir, longe da família e sem descanso. Visitem o site abaixo e leiam as histórias engraçadas desse pai que se diz atrapalhado.

Quarto elemento


Voltando ao show, o comentário que mais gostei foi que os "parental books" gastam tanto tempo explicando a importância do sono para o bebê, mas esquecem-se de mencionar a importância do sono do bebê para os pais. Pois a única vida que nos resta é quando nosso anjinho está dormindo. :)

Acompanhando as mudanças

Algo muito importante que me esqueci de mencionar (lebrado por minha amiga Angela num outro blog que participamos. muitosbebes.blogspot.com)é a mudança de fases.

O bebê vai mudando e novos problemas e novas soluções também vão surgindo.

Quase tudo que citei no tópico "como fazer o bebê dormir a noite toda" vale para bebês de mais ou menos 2 à 6 meses porque em teoria até os dois meses quase todos os bebês precisam da mamada da madrugada e após os 6 a maioria já está dormindo a noite toda por conta própria.

Citei também que o horário ideal para o nenem dormir é as 7h (sugerido por vários especialistas), mas após o problema que estou enfrentando andei pesquisando e descobri uma grande variação com casos de sucesso em horários bem diferentes.

Tenho um casal de amigos que coloca a nenem deles para dormir as 11h e ela dorme até as 11h do outro dia. Como ambos chegam do trabalho após as 7h essa rotina se encaixa muito bem na vida deles e ainda permite que ambos tenham pelo menos 4h de convivência diária com a filha. Tempo que raros pais que trabalham desfrutam.

Já uma outra amiga coloca o filho dela entre 5h30 e 6h30. Ele em geral dorme até as 6h do outro dia. Este bebê acorda cedo, mas dorme a noite toda e também vai pra cama cedo.

São diversas as bibliografias sobre a melhor maneira de criar um filho. Nós, pais de primeira viagem tentamos fazer o melhor possível e como não existe um manual de instruções vamos em busca de literatura profissional. Mas acho que todas esquecem de dizer algo importante.

O melhor método é aquele que funciona para você.

Portanto, seja lá qual for seu método. Se seu bebê está feliz e está se desenvolvendo adequadamente não mude.