20090928

Ainda de barriga para cima - Pastoral da Criança

Como o assunto ainda está dando o que falar resolvi "dar um google" no tema ou "perguntar para o oráculo" como alguns dizem.

Supreendentemente entrei em vários foruns com mamães e papais afirmando terem sido instruídos a colocar seus bebês de lado de forma a evitar sufocamento caso o bebê regurgitasse e como faziam dessa maneira estão passando a informação adiante.

Descobri que, no Brasil, apenas esse ano começaram as campanhas para se colocar o bebê para dormir de costas enquanto que nos EUA, Europa, Austrália e Nova Zelândia já divulgam a importância de colocar o bebê para dormir de barriga para cima há mais de 10 anos.

A grande responsável pela divulgação em massa foi a Pastoral da Criança , organização brasileira fundada em 1983 pela pediatra e sanitarista Dra.Zilda Arns Neumann em parceria com a igreja católica.

Trabalham com comunidades carentes atendendo quase 2 milhões de crianças até 6 anos de idade, são financiados por doações e trabalho voluntário, mas ajudaram a reduzir consideravelmente a mortalidade infantil nas comunidades em que trabalham.

Aqui no blog citei algumas vezes a Plunket que faz um trabalho semelhante aqui na Nova Zelândia, porém atingem 98% dos lares, possuem enfermeiras especializadas e telefone 24h para qualquer tipo de aconselhamento relacionado à criança.

Lamento que a Pastoral da Criança trabalhe apenas com as famílias menos favorecidas, também acho uma pena que seja relacionada à igreja - apesar de ser católica - pois acaba tendo um alcance mais limitado.

De qualquer maneira considero importante divulgar a pastoral da criança e que a maneira mais segura para o bebê dormir é de costas!

20090923

O bebê deve dormir de costas!


Após o post sobre a Síndrome da Morte Súbita Infantil - SMSI(SIDS) recebi alguns e-mails de amigas e várias manifestações de parentes questionando sobre a posição em que se deve colocar o bebê para dormir. Não, eu não me enganei!

Sim, eles devem ser colocados de barriga para cima!

Desde que a academia americana de pediatria em 1994 começou a fazer campanha para colocá-los nesta posição o índice de morte súbita no berço caiu mais de 50%.

É verdade que quase todos nós fomos colocados de lado para dormir e aqui estamos "vivinhos da silva", além disso ainda há pediatras que recomendam que as mães coloquem seus bebês de lado, mas o risco apesar de ser pequeno existe então é melhor prevenir.

Há situações especiais, converse com seu médico se seu bebê tem problemas respiratórios ou outras complicações, mas se seu filho é normal, a maneira mais segura é deitá-lo de costas.

Entrevista com a pediatra Mariane Arns:



Sua mãe provavelmente irá dizer que isso é modismo e que depois tudo muda, mas o fato é que a grande maioria das crianças que morreram de forma inesperada no berço estavam de lado.

Quando o bebê começa a se virar sozinho, escolhendo a posição para dormir não é necessário desvirá-lo, mas deve-se continuar colocando-o de costas inclusive nas sonecas da tarde.

Dica: Coloque-o de bruços quando acordado para brincar. Desta maneira poderá fortalecer o pescoço.

Veja mais:
http://www.inutero.pt/UserFiles/File/artigos/seguranca_infantil/SPP%20Sindrome%20Morte%20Subita.pdf
http://www.sidscenter.org/documents/SIDRC/BackToSleep.pdf
http://www.healthed.govt.nz/uploads/docs/HE1228.pdf
http://www.netdoctor.co.uk/health_advice/facts/babysleep.htm
http://pediatrics.about.com/library/blbacktosleep.htm

20090915

Nova Tática

Musiquinha, passeio de carro, receita infalível para fazer um bebê dormir.
Olha o que aconteceu com a Sandra... :)


20090910

Como fazer um bebê dormir

Sandra passo a passo. Como fazê-la dormir a noite toda?




Tudo começou no dia 15 de novembro quando nossa pequenina chegou ao mundo. Já nasceu as 10h51 como se já estivesse avisando que gostava de curtir a noite.

Ainda no hospital, nas primeiras noites dormi com ela em cima de mim. Na primeira semana em casa ela só dormia. Meu marido e eu nos perguntávamos quando começaríamas a exercer a tão esperada função de pais, pois ela só dormia.

Na segunda semana a vovó chegou, já a fez sorrir, já passava mais tempo acordada e no segundo mês já estávamos nos perguntando se aquela bebê não dormia nunca.

Uma vez alguém me disse que os bebês deviam vir com um botão de liga/desliga. Iria ser perfeito poder curtir a nova pessoinha mais amada do mundo, mas desligá-la na hora de dormir. Mas desligar um bebê as vezes pode ser bem desafiador.

Curtindo tanto a chegada de nossa primeira filha e primeira neta, a estimulávamos tanto que aos dois meses a pobre dormia apenas umas 12h por dia. Só adormecia na cadeira de balanço e assim que a colocávamos no berço ela acordava ficava adormecida por apenas uns 15 min e então acordava como que com um susto.

Mais tarde fiquei sabendo que o ciclo de sono do recém nascido é de 15 min e por isso ela acordava.

Comecei a pesquisar sobre o sono do bebê e decobri sobre a importância de fazê-la dormir no berço. Então decidi alguns horários e a colocava lá. O berreiro foi grande. Ela se esguelava e eu chorava também. Eu simplesmente a estava abandonando no berço. As vezes ela dormia rápido, as vezes não. Fiz isso por uns 4 dias. Ela começou a dormir muito mais, mas sentia que estava fazendo algo errado. Ela chorava muito. Achei melhor deixá-la dormir as sonecas da tarde no carrinho.

Foi então que aprendi sobre os sinais de cansaço e comecei a colocá-la para dormir assim que coçava o olhinho ou começava com os movimentos espásmicos. Como o berço é mais seguro e confortável, voltei a colocá-la no berço. No começo ficávamos ao lado do berço, mas depois ela adormecia sozinha e algumas vezes nem reclamava.

No terceiro mês fizemos viagens curtas, a mantivemos dormindo no berço e tudo estava correndo bem. Após a viagem para o Brasil as coisas desandaram de vez e o resto está registrado aqui no blog.

Agora estamos no nono mês e finalmente ela voltou a dormir a noite toda. Foi um processo bem lento registrei boa parte dele em posts anteriores, mas parei por um tempo de escrever passo a passo pois já nem sabia se iria conseguir colocá-la de volta na velha e boa rotina.

Acho que o bebê se sente abandonado quando fica no berço chorando para adormecer sozinho, acho que tem algum impacto negativo. A achei mais triste e carente nos dois primeiros dias, mas após medir os prós e contras considero que valeu a pena minha decisão de educá-la a dormir sozinha novamente.

Sentei com meu marido e traçamos nossas estratégias juntos. Iríamos alternar turnos e na medida do possível ambos iríamos colocá-la para dormir. Decidimos ser consistentes com nossos métodos e fazer sempre da mesma maneira.

Faríamos a rotina sempre do mesmo jeito, colocaríamos a Sandra já quase dormindo no berço, mas mesmo que começasse a chorar ou levantar sairíamos do quarto para que pudesse adormecer sozinha, sem nossa presença.

Primeira noite
- Terça-feira 1º de setembro
Foi horrível! Ela chorou por 1h40min. Decidimos seguir nosso corações então quando achávamos que ela estava muito exaltada íamos lá e acalmávamos independentemente se tinha passado 1m ou 10 min. Ela nào iria dormir, brava daquele jeito. A situação estavamudando e ela é claro estava protestando. A colocávamos deitada de volta, ficávamos lá até que sua respiração acalmasse e saíamos. Ela logo estava de pé de novo.

O pior de tudo é que ela sabia se levantar, mas aparentemente não sabia se sentar de volta, quanto mais deitar. Tinha a sensação de que nunca iria dormir. Voltei no quarto várias vezes. Até que ela finalmente dormiu. Acordou mais duas vezes, repetimos o procedimento e as 5h30 estava desperta.


Segunda noite
- Dormiu mamando. Fiquei com a terrível sensação que todo o sofrimento da noite anterior tinha sido em vão. Mas como todas as vezes em que ela dormiu enquanto mamava 40 min depois estava acordada. Repetimos então o procedimento. Acordou uma vez as 4h

Terceira noite
- Dormiu após uma meia hora de choro. Íamos lá a cada 5 min mais ou menos. Acordou duas vezes.

Quarta noite - Dormiu em 5 min. A colocamos para dormir as 6h. Uma hora mais cedo do que o habitual porque estava muito cansada. Surpreendentemente só acordou as 5h30. Nem acreditamos.

Quinta noite
- Acordou 2 vezes. Acordou as 4h só voltou a dormir as 5h20. Achamos que não iria dar certo.

Sexta noite
- Acordou a 1h, demorou 20 min para dormir de volta. Dormiu por 20 min e acordou de novo. Achamos que poderia estar com fome, resolvi dar mamá, mas mal mamou. Dormiu de volta e acordou só as 5h30. Ficamos um pouco inseguros, fui visitar a enfermeira de novo temendo uma dor de ouvido ou qualquer outra coisa. Estava tudo certo com ela.

Sétima noite
- Finalmente dormiu a noite toda

Oitava noite - Dormiu a noite toda.

Nona noite - Hoje. Já são quase meia noite, mas tenho certeza que vai dormir a noite toda. Teve a soneca da manhã e a da tarde. As sonecas também estão mais fáceis. Repeti o mesmo procedimento a tarde, não comentei sobre elas porque a madrugada é o que nos mata. Parece que a Sandra finalmente entendeu que só a estamos deixando no berço para dormir.

Apesar de ter ficado mais tristinha nos dois primeiros dias, agora ela está muito mais disposta, alegre e até mesmo a ansiedade de separação melhorou. Estou totalmente convencida de ter tomado a decisão certa.

Agora estamos tentando tirar o peito quando o papai faz a rotina para dormir, mas essa é uma outra história.

Como fazer o bebê dormir a noite toda - Parte II



Finalmente, após quatro meses de noites muito mal dormidas, o monstrinho da madrugada não nos acordou e comemoramos duas noites inteiras de sono.

Tudo que passamos nos últimos meses, descrito aqui no blog em posts anteriors, me fez ter certeza que o segredo número 1 para que o bebê durma a noite toda é aprender a dormir sozinho, ou seja, ele precisa ser capaz de deitar no berço e adormecer sem a presença da mãe, pai ou algum objeto que ele possa perder no meio da noite como uma chupeta.

Isso nao inclui o objeto de transição pois é maior do que a chupeta, não precisa de tanta habilidade motora para ser tocado e não é tão pequeno para ser perdido.

Os bebês estão aprendendo o tempo todo. A forma como adormece é também aprendida e geralmente associada a algo. Facilmente associam dormir com o peito ou mamadeira e conforme vão crescendo associam também com colo, balanço, embalo etc. Em inglês é chamado de sleep association. O bebê fica condicionado a adormecer de uma certa maneira em um certo lugar.

Quando nós pais descobrimos qual é o método que funciona com nosso bebê rapidamente começamos a usá-lo o tempo todo por mais estranho que pareça. Chega a ser engraçado pois no primeiro mês não queremos desgrudar do bebezinho e tê-lo adormecido em nossos braços é um prazer indescritível, mas conforme ele vai crescendo, dormindo menos e demorando mais para dormir o que antes era gostoso começa a virar um pesadelo.

É que nem comer brigadeiro, quando comemos os primeiros ficamos querendo mais e mais até que começamos a arrepiar e não dá nem para passar perto.

Mas com nossos filhos não temos a opção essa opção, uma vez criado o hábito temos que continuar acordando ou acordados para fazê-los dormir. Quando a Sandra dormia no meu colo, quantas noites não passei sentada semidormindo para que ela dormisse em mim.

Por isso é importante a importância de condicioná-lo a dormir no berço. Nos dois primeiros meses não há muito o que fazer até porque eles ainda mal conseguem fazer associações, mas assim que começam a precisar de algo como um balanço para adormecer já é possível começar a gentilmente a mostrar que o berço serve para dormir.

Quando a Sandra era bem pequenininha bastava que ficássemos na frente do berço ou com a mão sobre ela para que adormecesse. É claro que tomava muito mais tempo do que balançá-la na cadeira de balanço como fazíamos anteriormente, mas logo nos possibilitou deixá-la para adormecer só. É claro que só funcionava se ela estive cansada enão supercansada.

Quando o bebê não consegue adormecer sozinho ele chamará pelos pais toda vez que acordar e isso certamente acontecerá. Todos acordamos a noite, mas em muitas vezes nem chegamos a despertar pois sabemos voltar a dormir. Por isso é tão importante que o bebê saiba como adormecer sozinho ou pelo menos tenha associado o berço com dormir.

Segredo número 2 para que o bebê durma a noite toda é aprender a ler os seus sinais de cansaço para que possamos colocá-lo no berço assim que começa a ficar com sono em vez colocá-lo sem sono ou supercansadoquando já estará agitado.

Isso possibilita obtermos sucesso colocando-os para dormir as sonequinhas da manhã e tarde, importantes para que esteja relaxado para uma boa noite de sono.

Além disso aprender a ler os sinais do bebê nos livra do relógio e nos dá confiança para mudar o horário da soneca ou colocá-lo na cama uma hora mais cedo o que pode garantir que todos durmam a noite toda.;

Segredo número 3 é a tão falada rotina, mas vou chamá-la de ritual para dormir. Repetir o mesmo procedimento na hora de dormir ajuda o bebê acalmar, o fará se sentir seguro pois já sabe o que vai acontecer e possibilita que o procedimento seja realizado em outro lugar em caso de viagem e as vezes por outra pessoa na sua ausência.

E como a Sandra começou a dormir a noite toda? Vou responder no próximo post, esse já ficou muito grande.

Veja mais dicas no site da
Australasian Sleep Association

Sleepassociation.org

20090907

Métodos para ensinar o bebê dormir sozinho - Plunket


Se não morri por falta de sono até hoje é por causa da Plunket. É uma organização neozelandeza fundada há mais de cem anos com o objetivo de informar e apoiar as mães acompanhando o desenvolvimento dos bebês e garantindo a saúde de toda a família.

Possuem enfermeiras altamente treinadas e propõem uma metodologia bastante flexível. Na realidade oferecem consultoria individualizada analisando caso a caso. Vou tentar resumir em poucas linhas para compartilhar um pouco do que aprendi com elas conforme a idade do bebê.

A partir do segundo mês elas recomendam seguir os sinais de cansaço do bebê e seguir uma rotina mama, atividade, dorme. Como a da encantadora de bebês. Sugerem colocá-lo para brincar no chão em cima de um tapete ou cobertor pois dessa maneira é mais fácil observar os sinais de sono e em seguida colocá-lo para adormecer no berço. Nesta idade é melhor evitar mostrar mais de dois brinquedinhos para que o bebê não tenha sobrecarga e é indicado colocá-lo de bruços um pouquinho todos os dias para fortalecer o pescoço e as costas.

Falam também da importância de se colocar o bebê para dormir imediatamente após observar os sinais de sono/cansaço e sempre da mesma maneira pois ele já começa a aprender que está indo dormir. Pode-se por exemplo pegá-lo no colo, dar carinho, cantar e colocar no berço. Muitos surpreenderão suas mães dormindo sem chorar, as vezes com apenas uma reclamação, as vezes, sem nenhuma.

(...)Tive muita dificuldade em fazer nossa bebê dormir após o primeiro mês e seguindo essas orientações a Sandra começou a dormir a noite toda no final do segundo mês. Quando ela tinha 5 meses comecei o blog para compartilhar meus aprendizados com outras mães desesperadas como eu tinha sido.

No sexto mês quando fui para o Brasil visitar a família meus problemas começaram e o resto já contei aqui no blog.(...)

Se a mãe não vir quando o bebê mostra os primeiros sinais de cansaço, ele ficará superestimulado e portanto será muito mais difícil de relaxar para dormir e cai chorar. Neste caso a recomendação da Plunket é embrulhar, ou colocar o bebê no berço com o lençol preso embaixo do colchão limitando os movimentos espásmicos que são involuntários e acabam por deixá-lo ainda mais agitado.

Uma dica legal para bebês novinhos é colcoar um rádio fora da estação, de preferência nuna AM, no quarto. O barulho de chiado com vozes no fundo por alguma razão acalmam o bebê. Dizem que é parecido com o quê eles ouvem no útero.

Depois de colocá-lo no berço pode-se ficar parado ao lado até que ele durma. Ou se preferir deixe o quarto e espere 15 min. Se ele chorar volte, tente acalmá-lo no berço, se não for possível pegue-o, acalme-o e ponha de volta para dormir no berço.

Após o quarto mês, em geral, é melhor sair do quarto pois o bebê está muito mais esperto e pode ficar excitado com a presença da mãe. No entanto não é necessário se prender a um tempo definido para esperar fora do quarto enquanto o bebê chora. Pode=se ficar atento ao choro, se o bebê fica muito nervoso, é melhor voltar logo para acalmá-lo para então deixá-lo para adormecer sozinho novamente. Mas se só está reclamando, apenas fazendo alguns ruídos é melhor esperar, ele provavelmente já vai adormecer.

Após o sétimo mês ou quando o bebê começa a se sentar e/ou se levantar no berço é melhor não voltar no quarto muito antes de 10min. Elas recomendam esperar o máximo possível (que a mãe aguenta), não passando de meia hora, mesmo que o bebê se levante ou sente assim que você sair do quarto.

A Sandra está agora com 9 meses e meio portanto só sei até aqui. rs Atualizarei no futuro.

Mas o que posso dizer é que se você pensa em fazer algum tipo de treinamento para dormir com o seu bebê, é melhor começar logo a não ser que ele esteja doente, como foi meu caso. Pois depois que começam a se levantar no berço tudo fica bem mais complicado.

Não deixe de ver também:
Sinais de cansaço
Como ensinar o bebê a dormir a dormir a noite toda
Bebê chora de sono
Método da encantadora de bebês

20090906

Breve desabafo

Já faz algum tempo desde a última vez que falei do sono da Sandra, desde então a fiz dormir no berço, mas com minha mão sobre ela. Não aguentei vê-la chorar. Meu Deus, é muito sofrimento!!!!

Na verdade tentei métodos menos agressivos como ir me afastando do berço aos poucos, tentei ficar no quarto a acalmando enquanto ela berrava. Mas definitivamente minha presença só a excitava e a fazia sofrer mais até dormir. Falar pela babá eletrônica também não deu certo.

Ainda como se não bastasse ela acordar pelo menos umas 3 vezes por noite ela ainda estava totalmente desperta por volta das 6h da manhã do dia seguinte. As coisas melhoraram, desde que parei de fazê-la dormir no colo ela parou de acordar de 40 em 40 min e até a ansiedade de separação melhorou.

Decidi então testar por uma semana colocá-la para dormir um pouco mais tarde, por volta das 8h30 acrescentando então uma soneca por volta das 5h. Desastre total. Só a fez acordar mais e ficar cansada e mal humorada no dia seguinte.

Com exceção de alguns fins de semana, quem acordava nas madrugadas e depois estava brincando na sala as 6h da manhã era EU. A noite ficava acordada com meu marido até umas 10h30. Ele no entanto só ia dormir as 11h30 e advinha quem acordava? ELA, o bebê Sandra, a nossa monstrinha da madrugada. :)

Eu era um zumbi, mal humorada e esgotada e é claro alguém tinha que levar a culpa. Comecei a ficar com raiva do meu marido, o Alexandre, afinal o bonitão dormia das 12h as 8h todos os dias, se negava a acordar mais cedo e ainda a acordava quando ia deitar. Eu explodia, ele não entedia.

Enquanto isso os amigos e a família preocupados falavam a clássica frase: "deixa chorar"!

Um dia perguntei para uma amiga o que ela queria dizer com o "deixa chorar", ela disse que quando o bebê acordasse num horário em que não devia estar acordado simplesmente para não atendê-lo deixando-o simplesmente chorando até que voltasse a dormir.

A técnica provavelmente funcionaria, provavelmente um dia o bebê entenderia que a noite acontecesse o que acontecer ele não seria atendendido e provavelmente desistiria de chorar. Mas não conseguiria fazer isso, não me parece certo.

Vou fazer uma observação importante. Dizer "deixa chorar" para uma mãe desesperada não ajuda em nada e ela provavelmete já tentou essa abordagem de alguma maneira sem sucesso e ficará portanto mais chateada do que já estava no começo da conversa. Se quiser ajudar de alguma maneira, sugira ou dê um livro de presente, ofereça para ficar com o bebê enquanto ela descansa algum dia, convença o papai do bebê a ajudá-la ou simplestmente escute sem dizer nada.

A encantadora de bebês, Tracy Hogg cita no livro que fez um teste colocando o som de um bebê chorando para pais durante um minuto. Perguntando depois por quanto tempo o bebê havia chorado todos disseram pelo menos 3 minutos, ou seja, para os pais o choro parece ainda pior do que na verdade é. Ela comenta então que não conhece nenhum bebê que morreu de chorar, mas como disse meu amigo Carlos Amorim, somos programados a reagir ao choro do bebê. No livro "O que esperar do primeiro ano" dizem que até mesmo crianças ficam com a pressão elevada ao ouvir um bebê chorando agora imagine só como fica a pobre da mãe.

Até que um dia nos convencemos de que não tinha mais jeito. Cheguei no meu limite. Precisava dormir. Não tinha mais humor nem disposição para fazer nada e ainda meu esgotamento resultou na queda da Sandra da minha cama.

Decidimos seguir o método da Plunket que é uma variação do Ferber e insistir nele até obter resultado, doa o quê doer. Infelizmente cheguei a conclusão que não é possível evitar as lágrimas. Para um bebê acostumado a dormir no colo aprender a dormir sozinho no berço vai ter muito choro. Por isso é importante não tomar nenhuma atitude até se ter certeza de que é isso mesmo que se quer fazer. Pois se desistir no meio do processo todo sofrimento, dos pais e do bebê, terá sido a tôa.

Colocamos na balança os prós e contras. Até decidirmos seguir adiante. Falarei mais sobre isso em outro post.

Registrei parte do processo, em um dia que não foi o pior de todos. Veja o vídeo abaixo. Família, não veja!




Deixar um bebê chorar de uma hora ou outra não resolverá nada, só fará o coitadinho sofrer. É preciso ter um objetivo e seguir uma metodologia. Seja ela da encantadora, do Ferber, do Nana nenê, Dana Obleman ou qualquer outro que você leu ou criou, mas o importante é ser coerente e insistir por pelo menos um mês.

Uma dica para minimizar as lágrima é reduzir as atividas antes de colocá-lo para dormir, carregá-lo no colo por alguns minutos tentando deixá-lo bem molinho, já quase dormindo para então colocar no berço. Ele pode abrir o berreiro quando colocá-lo lá, mas provavelmente chorará um pouquinho menos e ainda há a chance de que fique com preguiça e nem chore.

Outro detalhe importante que aprendi. No meio do processo terá noites piores, sonecas mais difíceis, dias que você pode não resistir e retroceder, mas não desista, ainda é possível atingir o objetivo de ensinar o seu pequeno a adormecer sozinho e finalmente desfrutar do tão sonhado momento de ver seu bebê dormir a noite toda.

Bebê dormindo em pé

Para celebrar o dia dos pais aqui na Nova Zelândia - primeiro domingo de setembro. Segue o vídeo. O pequenino está tentando dormir abraçadinho com a mãe, em pé o coitadinho e o pai morrendo de rir fica só filmando. :)

20090903

Métodos para ensinar o bebê dormir sozinho - Encantadora de bebês

Tracy Hogg propõe organizar a rotina do bebê estipulando horários para as mamadas, brincadeiras e sonecas, necessariamente nesta ordem.

É o que ela denominou de rotina E.A.S.Y.
A recomendação é que os pais comecem o dia da seguinte maneira:
E Eat(comer), mamar, assim que acordar. É o melhor momento para ser alimentado uma vez que está descansado e terá menos chance de adormecer enquanto mama.
A Activity(atividade), deve fazer alguma atividade como troca de fraldas, brincadeira ou banho dependendo do horário e da idade do bebê. Se for recém nascido a atividade é basicamente trocar a fralda e talvez trocar de roupa pois logo já estará pronto para dormir de novo.
S Sleep(sono), assim que o bebê apresentar sinais de cansaço deve-se começar o processo para colocá-lo para dormir
Y You(você) finalmente enquanto o bebê dorme temos algum tempo para nós

Entender o método da encantadora de bebês é bem fácil porque ela nomeia e classifica tudo desde a personalidade dos bebês até os tipos de choro.

Mas acima de tudo fala da importância de ensinar o bebê a dormir no berço.

É responsável pela popularização do método "Pick up/Put down" a tradução é algo como pega (o bebê do berço) e põe de volta. A encantadora se diz contra "deixar chorar" e instrui a mãe a pegar o bebê quando este começa a chorar pra valer, acalmar o bebê, não deixar que durma no colo, e então colocar de volta. Não se deve pegar quando o bebê está chorando de birra.

O problema é que nem sempre sabemos se nosso bebê está chorando só de reclamação porque ou se é uma dor ou desconforto. Li em uma edição antiga do livro ela dizendo que aos 3 meses, ela já esperava que os pais pudessem distinguir os tipos de choro do seu nenê. Já em uma edição mais recente ela comenta que é totalmente compreensível que os pais não saibam exatamente se um determinado choro é só birra afinal estão se baseando provavelmente em apenas um bebê.

Esse método só deve ser utilizado a partir do terceiro mês pois antes de completar três meses não terá eficácia pois o bebê ainda é muito novinho para compreender o que está ocorrendo podendo ainda ficar mais excitado com o movimento de sair e voltar para o berço.

Os pais devem permanecer no quarto durante o processo, mas apenas se deixar ser visto pelo bebê se sua presença não o estiver estimulando ainda mais.

A encantadora sugere esperar pelo menos uns dez minutos para sair do quarto pois o bebê já terá passado do sono R.E.M. quando é mais fácil de ser acordado para o sono profundo.

Acho que se o bebê não pode te ver dá na mesma você ficar ou não no quarto desde que você tenha uma babá eletrônica. Na verdade, neste caso, prefiro sair para não acontecer de esbarrar ou fazer algum barulho e acabar acordando o bebê como já me aconteceu.

Já tinha esperado uns 15 minutos e quando fui sair do quarto, na pontinha do pé, quando ouvi um "uifF"! Pisei num brinquedinho que fazia barulho. rs Tive que começar tudo de novo.

Vou copiar a tabela de sono por idade do bebê em um outro post.

Segue o link para a tabela de quantas horas o bebê precisa dormir conforme a idade.
Tabela

20090902

O que os pais não fazem para que um bebê durma

Hoje entendo como nunca o desespero de alguns pais. Depois de tantas noites e dias sem dormir direito acabamos por topar qualquer coisa.

Tenho uma amiga que as vezes segura a cadeirinha do carro em cima da máquina de lavar pois o embalo faz a bebê dormir.

Metodos para ensinar o bebê dormir sozinho - Ferber :


É também conhecido como Ferberização ou deixar chorar.

O Dr. Richard Ferber propõe fazer com que o bebê durma sem nenhum auxílio como o peito, mamadeira ou a companhia da mãe. Ele sugere fazer a rotina habitual  com o bebê, dar um beijinho, dizer eu te amo/boa noite ou o de costume costume, mas não permanecer no quarto até que ele durma.


O bebê certamente irá chorar! Espere então 3 min, volte no quarto, não o pegue, não fique até que ele adormeça, apenas afague e saia do quarto novamente. Repita esse procedimento  até que o bebê consiga dormir sozinho. Nos dias subsequentes, aumente o tempo fora do quarto.

Deve-se fazer isso toda vez em que colocar o bebê para dormir inclusive nas sonecas da tarde.

Alguns pais usam variações deste método colocando uma cadeira ao lado do berço e afastando-a um pouco por dia até finalmente sair do quarto.

Há também o método progressivo em que aumenta-se o tempo fora do quarto de um em um minuto. Pode ser feito na mesma noite.

Outra variação é fazer isso apenas a noite e nas sonecas diurnas permitir que o bebê durma em qualquer outro lugar como no carrinho durante um passeio ou na cadeirinha do carro, no canguru ou de qualquer outro modo. O problema é que a variação do método torna a eficácia muito mais lenta pois é importante a consistência para que o bebê compreenda que está sendo deixado ali apenas para dormir. Por outro lado essas variações tornam o ato pscicologicamente um pouco mais suave para os pais que sofrem muito ao escutar o bebê chorar.


Na minha opinião pessoal esse é um método eficiente, meu preferido já que nenhum sem choro funcionou pra gente. Não conseguiria a deixar chorando e só voltar no quarto na manhã seguinte.

Temos uma babá eletrônica/ monitor com imagem o que considero fundamental quando se está utilizando desse método com bebês mais velhos pois pode-se ver se não ficaram em uma posição desconfortável no berço como por exemplo com um braço ou perna pra fora da grade ou se estão de pé ou sentados sem conseguir se deitar novamente.

Recomenda-se não iniciar essa abordagem antes do quarto mês.


Saiba mais sobre o Dr. Ferber
Quanto o bebê precisa dormir segundo o Dr. Ferber

Bibliografia: Solving your Child's Sleep Problems - Dr. Richard Ferber.  Bom Sono, ed. Relativa em português



20090901

Ainda acordando a noite...



A Sandra ainda acorda duas ou três vezes por noite, mas volta a dormir assim que a afago, inclusive nas madrugadas. O problema é que ficar sentanda no quarto dela nessas acordadas estão me matando de exaustão e outra manhã em que estávamos brincando na minha cama adormeci por cinco minutos e ela acabou caindo no chão. Por sorte nada aconteceu, mas o fato me fez decidir enfrentar a ferberização de novo. Dessa vez sem variantes.

Enquanto não temos sucesso vou falar nos próximos posts de alguns métodos para o bebê dormir a noite toda. O que eles propõem é que quando o bebê sabe dormir sozinho ele voltará a dormir sem chorar pelos pais na madrugada.

Embora esses métodos estejam bem populares é válido dizer que há choro em quase todos eles e que existe uma forte corrente contra deixar o bebê chorar alegando que o ato cause danos emocionais. Falarei sobre isso em outro post mais adiante.

Além disso é importante afirmar que pode ser muito estressante para os pais ouvir o choro por tanto tempo e que qualquer que seja o método escolhido é fundamental insistir nele por cerca de um mês. Alguns autores afirmam que duas semanas são suficientes, mas tenho relatos de bebês que levaram um mês para começarem a dormir sem chorar. Depende da personalidade do bebê e da coerência dos pais.

Depois escrevo contando todos os detalhes.